Nocaute (2015) – Nocauteando e sendo nocauteado

Cinema | Nocaute (2015): 

Southpaw, é mais um filme de boxe com uma história de superação e vitória. Com boas interpretações e quem sabe uma indicação ao Oscar 2016.

Cartaz - NocauteO filme é dirigido por Antoine Fuqua (O Protetor, 2014). Roteirizado por Kurt Sutter (Sons of Anarchy, 2008-2014), trilha sonora de James Horner (Muppets 2, 2014) e cinematografia de Mauro Fiore (O Protetor, 2014). E tem no elenco Jake Gyllenhaal (O Abutre, 2014), Rachel McAdams (Aloha, 2015), Forest Whitaker ( Último Rei da Escócia, 2006), 50 Cent (Última Viagem a Vegas, 2013) e Miguel Gomez (The Strain, 2014).

Billy “The Great” Hope (Jake Gyllenhaal), um lutador, trilha seu caminho rumo ao título de campeão enquanto enfrenta diversas tragédias em sua vida pessoal. Além das batalhas nos ringues, ele é forçado a lutar para conquistar o amor e o respeito de sua filha, em uma busca por redenção.

Nocaute 5

A história do filme não é das mais originais. vemos muito disso num dos filmes mais conhecidos do mundo, Rocky – O Lutador. E há também muitas adjacências de filmes do mesmo estilo junto a um roteiro comum e nada inovador. É algo que funciona, tem seu começo, meio e fim e claro pode emocionar e isso por conta de seus atores. É um filme quase que moldado a trazer uma interpretação brilhante para o seu protagonista.

Nocaute 3Jake aqui está excelente, nem parece aquele personagem magrelo e com cara de louco que vemos em O Abutre, há uma grande diferenciação em ambos os papeis. Poderá quem saber ser um nome de peso no Oscar. E junto ao ator está a curta estadia da Rachel McAdams no filme, uma boa atriz que até então estava vindo de trabalhos pouco enriquecedores no cinema. Masaqui mesmo com uma pequena participação consegue trazer um de seus melhores trabalhos estando inteira na trama.

Forest é um ótimo ator, ganhador de Oscar e tudo mais. E aqui vi um personagem sem nuances. Assim como o roteiro seu personagem é o mesmo que em muitos filmes do gênero. Um ex-boxeador, aposentado que treina menores. Que tem um breve encontro com o principal da trama e a história se faz a partir daí. E ainda não podemos deixar de citar o rival no ringue que é aquele misto de cara arrogante e tirador de sarro (aos níveis boxe) junto ao trajeto de vingança do nosso herói. E 50 Cent faz um empresário que dispensa comentários, sabemos bem do porque de sua participação no filme.

Nocaute

A cinematografia não exige maiores análises, são bem comuns para a película em si, sendo que em alguns momentos há interação com o esporte de verdade e um misto de câmeras em primeira pessoa. A trilha sonora começa muito bem, mas no decorrer de toda a trama se repete muito, tanto para momentos tristes como os de redenção. Existe partes interessantes e algumas um pouco massantes e previsíveis. Mas a relação pai e filha (feito pela pequena Oona Laurence, “Lamb, 2015“) são os melhores momentos do ato dois e três.

Nocaute 4

Nota---Indurgente

Com boas interpretações e sabendo como trazer emoção a seu público, ainda assim o filme deixa a desejar, num roteiro simples, previsível e pouco inovador.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s