Ponte Aérea (2015) – A Distância e as Diferenças pouco Importam

Cinema | Ponte Aérea: 

Acredito ser mal costume dos brasileiro não assistir a filmes nacionais, mas podemos encontrar muita coisa boa em terras tupiniquins e mesmo assim o que prevalesse é o de costume: A massaroca ‘Br-Hue‘ com pitadas de Hassum. Assim fica realmente difícil ver o cinema daqui. Mas vamos tentar mostrar um pouco do que há de melhor.

Cartaz - Ponte AéreaPonte Aérea é dirigido por Julia Rezende (Meu Passado me Condena 2013) e roteirizado também por Julia e L.G. Bayão. Tendo no elenco Caio Blat (O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias 2006), Letícia Colin (Bonitinha mas Ordinária 2013), Silvio Guindane (Vai que Cola 2013-2014), Emílio de Melo (Psi 2014).

O filme que se passa entre Rio/SP. Tendo como protagonistas Caio Blat e Letícia Colin que interpretam Bruno e Amanda. Ele é carioca e ela Paulistana, ambos se encontram no hotel de um aeroporto devido a uma viagem não concluída por problemas. Bruno viaja pois seu pai está em coma e Amanda a negócios. Entre tantas diferenças isso o faz serem únicos e enamorados.

Ponte Aérea 2

O roteiro tem uma certa romantização nos trazendo a mente toda a gama de filmes nacionais que já usaram isso, mas em contrapartida é bem trabalhado a questão dos eixos entre Rio de Janeiro e São Paulo, os costumes, a maneira de falar etc. Existem certas sacadas geniais e piadas sobre a a profissão da Amanda (Colin) por ser publicitaria, mas que talvez nem todas as pessoas entendam por não conhecer a profissão.

Still do filme 'Ponte Aérea'

Os atores foram bem articulados e conseguiram trazer a tona as diferenciações de suas regiões. Caio Blat mesmo tendo origem paulistana nos trás o carioca, jeito malandro com aquela dose se humor , mas não totalmente que é o que trás a graça do personagem, que mesmo sendo da cidade maravilhosa ainda nos trás um homem um pouco introspectivo, que só tem o jeito carioca pois nasceu ali, mas a sua índole trás mais do que imaginamos. O papel do carioca malandro de verdade fica por conta do Silvio Guindane (Chicão). E Letícia Colin a tipica trabalhadora da cidade de São Paulo. Consegue ilustrar muito bem o ritmo acelerado da ‘cidade que não para’.

Ponte Aérea 3

Agora tendo contextualizado os dois, imagine o encontro. As diferenças e tudo mais. Nisso tenho de dizer que a diretora Julia Rezende sobre fazer com maestria, mas o filme ainda beira a clichês. E em muitos casos apela para sua protagonista com roupas intimas, nuas e muita cena de sexo que ao meu ver podem ser desnecessárias e quando a cena enfim tem um proposito, perde o motivo e se torna apenas mais uma.

A trilha do filme é ótima, as músicas escolhidas foram a dedo, desde Rock a MPB e até Bossa Nova.

Ponte Aérea 4

Ponte AéreaOs planos de câmera foram ótimos, fugindo do convencional, mas ainda assim em muitas das cenas recaia novamente no formato “novela”.

Nota---Still-Alice

Ponte Aérea consegue se diferenciar dos demais, porém, ainda há clichês , mas com certas sacadas genias na trama, cansa um pouco na metade e finaliza de forma interessante e sublime. São situações atípicas para quem vivenciou o mesmo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s